Para o jornalista Daniel Delfino colaborador do Beyond Fordlândia - morto por uma bala perdida

  Foto após defesa do Trabalho de Conclusão de Curso na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Da direita para a esquerda: Daniel; sua professora e orientadora, Simone Orlando; e os professores de sua banca, Rejane Moreira e Wagner Costa.

Foto após defesa do Trabalho de Conclusão de Curso na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Da direita para a esquerda: Daniel; sua professora e orientadora, Simone Orlando; e os professores de sua banca, Rejane Moreira e Wagner Costa.

A Amazônia desperta sensações diferentes naqueles que travam contato com sua história, seu nome e seu território. Foi assim com o professor Marcos Colón, que vislumbrou um projeto e uma razão para fazer a defesa desse tesouro, nos presenteando com o documentário Beyond Fordlândia.

Em setembro do ano passado, através de uma querida professora, pude, Lucas, conhecer esse universo. Colaborar com um projeto afinado com nossos ideais é extremamente gratificante.

Daniel Delfino, 27 anos, defendeu a monografia no mesmo dia que eu. Formado e empregado, falava de vez em quando sobre a vontade de “se envolver com mais projetos”. Nesta boa fase de repercussão do filme, convidei-o para trabalhar na criação de um artigo sobre o documentário para a Wikipédia.

Esse foi o começo de uma parceria certamente frutífera. Daniel traduzia no seu humor qualidades sempre associadas aos bons jornalistas: sagacidade, curiosidade e dedicação. Ótima oportunidade para incluir nessa jornada um amigo extremamente competente. Mas nosso projeto foi abreviado.

Daniel foi atingido por uma bala perdida na barriga, em Guadalupe, bairro onde mora, na zona norte do Rio de Janeiro. A violência crua que tirou sua vida no último domingo (16) nos deixa estarrecidos e inquietos. Sua memória, entusiasmo e respeito pela vida seguirão conosco.

Não nos permitiremos esquecer que a vida de Daniel foi ceifada pela violência do confronto social. Estado e crime organizado vivem conflito para além dos cidadãos comuns. É preciso resistir pela cidadania e em nome dos que foram vítimas da tragédia de nossos dias.

Deixamos nosso abraço para o amigo e colega de profissão.

Forças para a família nesse momento.

Lucas Nascimento

Marcos Colón

Aqui o verbete do Beyond Fordlândia criado por Daniel Delfino no Wikipedia: https://pt.wikipedia.org/wiki/Beyond_Fordlândia